Do O Antagonista, sobre não haver nenhum papelzinho, muito menos documento, para embasar sua reportagem:

 

A Folha publicou neste sábado um documento que comprova a oferta de disparos em massa por WhatsApp a campanhas políticas.

O tal documento, no entanto, mostra apenas uma oferta para a campanha de Geraldo Alckmin, que recusou a proposta.

Sobre a compra clandestina de mensagens de WhatsApp por parte da campanha de Jair Bolsonaro, o jornal ainda não publicou nenhum papelzinho.