Resultado de imagem para fake news

Por John Nolte, no Breitbart.

Setenta e dois por cento dos norte-americanos acreditam que “os meios de comunicação tradicionais, conscientemente, relatam notícias falsas ou enganosas”, segundo uma pesquisa da Axios/SurveyMonkey.

Em outras palavras, apenas um quarto do país acredita que a mídia não é culpada de espalhar mentiras intencionalmente para enganar o povo americano.

Entre os republicanos, 92% acreditam que a mídia enganou o públicointencionalmente. Os independentes não estão muito atrás, com 79%. Até mesmo a maioria dos democratas, 52%, concorda com a afirmação.

O Axios, de extrema-esquerda, concentra-se no número republicano de 92%, como se dissesse que se trata de um problema partidário, quando não há dúvida de que a mídia tem um enorme, e bem merecido, problema de credibilidade generealizado.

A manchete enganosa da Axios diz: “92% dos republicanos acham que a mídia relata intencionalmente notícias falsas”, o que é uma tentativa deliberada de manter o foco fora dos 72%.

A parte principal do texto da Axios concentra-se apenas no número republicano e resume desta forma, “Os dados mostram que a confiança na imprensa é influenciada, fortemente, pela política partidária, com os republicanos mais céticos com a mídia tradicional do que seus colegas democratas ou independentes. “

Os republicanos podem ser os mais céticos, mas estamos falando apenas de uma diferença de 92%/72% entre os republicanos e o país inteiro.

Dos que acreditam que notícias falsas são deliberadas, 65% dizem que isso acontece porque “as pessoas têm uma agenda”.

Apenas 30% culpam a onda de notícia falsas da grande  imprensa àe “preguiça” ou à“falta de checagem de fatos”.

O Axios tentaculpar o presidente Trump por “exacerbar o ceticismo entre os conservadores de linha dura com linguagem polarizada (e tweets) sobre a grande mídia ser ‘notícia falsa’”.

Em nenhum momento, o Axios menciona as incontáveis ​​mentiras em que a mídia foi flagrada nos últimos anos.

Portanto, de acordo o Axios, a mídia só tem um problema de percepção, não um problema de credibilidade.