Repórter propagandista da Folha de São Paulo, Diego Bargas, tenta manipular entrevista com Danilo Gentili e acaba despedido. Era matéria pronta e o humorista divulga vídeo desmascarando o faz de conta.

No jornalismo é conhecida a expressão “se não estamos ouvindo não estamos comunicando”. Devemos ouvir o que as pessoas estão falando e responder a elas ao invés de falarmos o que queremos.

Se os veículos da mídia não ouvem o que as pessoas dizem, o relacionamento dela com o público vai desmoronando. Por isso, no Clube de Imprensa procuramos dar ouvidos a diferentes pontos de vista, desde que sustentados com argumentos.

O repórter da Folha foi apenas mais um a escrever uma crítica sobre o filme “Como se tornar o pior aluno da escola”, inspirado no livro homônimo de Gentili. O problema é que o entrevistador fez perguntas com o fim único de descrever o humorista de acordo com suas próprias convicções acerca da figura do artista, ignorando o próprio entrevistado. Pior, sequer conseguiu sustentar seus ideais com as respostas que recebeu.

Após a publicação da matéria, Gentili divulgou a entrevista em vídeo questionando a isenção do repórter. Assista a seguir a entrevista com uma análise da linguagem corporal dos participantes:

Gentili já não tem mais paciência com pseudo-jornalistas.