Life-sized cutouts depicting Facebook CEO Mark Zuckerberg wearing "Fix Fakebook" T-shirts are displayed by advocacy group, Avaaz, on the South East Lawn of the Capitol on Capitol Hill in Washington, Tuesday, April 10, 2018, ahead of Zuckerberg's appearance before a Senate Judiciary and Commerce Committees joint hearing. (AP Photo/Carolyn Kaster)

 

por Nate Church. Leia o artigo completo no Breitbart.

Em 10 de abril, o grupo para mobilização social global via Internet, Avaaz, avisou, em comunicado, que estava solicitando que o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, “proíba todos os bots, avise o público toda vez que os usuários virem falsificação ou desinformação, financie verificadores de fatos em todo o mundo e faça uma auditoria independente para revisar a escala e o escopo de notícias falsas”.

A Avaaz montou 100 recortes de papelão de Mark Zuckerberg no gramado do Capitólio, pedindo que o Facebook se censure ainda mais. O grupo ainda apresentou suas “Quatro soluções para consertar o Facebook” e forneceu um porta-voz para entrevistas. Ironicamente, o protesto foi transmitido por cerca de meia hora pelo próprio Facebook.