image

O então presidente Obama em visita à sede da campanha de Ted Lieu.

Por James Barrett, no Daily Wire.

A vista de Nikki Haley em Nova York é inestimável. Suas cortinas? $ 52.701 “, é o título do artigo que o New York Times publicou sobre a residência oficial, em Nova York, da embaixadora nas Nações Unidas, Nikki Haley. Democratas e ativistas de esquerda ficaram indignados. Um deputado democrata pediu “uma audiência sobre os gastos do Departamento de Estado de Nikki Haley e seu vice”.

O ativista de esquerda, David Hogg, também participou da ação anti-Haley, escrevendo uma mini-carta em nome dos “EUA”:

Mas, como o gabinete de Haley disse ao Times, há apenas um grande problema: ela não teve nada a ver com as cortinas caras. Elas foram encomendadas em 2016, aprovadas pelo Departamento de Estado de Obama. Aqui está a linha enterrada no sexto parágrafo do artigo sobre “as cortinas da Sra. Haley”:

Um porta-voz da Sra. Haley disse que os planos para comprar as cortinas foram feitos em 2016, durante o governo Obama. Não coube a Haley a aquisição, ele disse.

Apesar dese reconhecimento, o Times descreve, repetidamente, as cortinas e a residência como “da Sra. Haley” e coloca o ônus sobre o Departamento de Estado de Trump, e não no de Obama, que aprovou, ordenou e alocou fundos para as cortinas. Alguns trechos do artigo falso (ênfase acrescentada):

Apesar de embaixadores de todo o mundo receberem residências, há apenas duas dessas residências nos Estados Unidos – uma para a Sra. Haley e outra para o seu vice.

A residência de Haley é particularmente grande, já que é usada para entretenimento oficial. Mas a do seu vice também é muito boa, tendo servido como local para o jantar de íntimo do secretário de Estado Mike Pompeo, em maio, com Kim Yong-chol, o principal negociador de armas nucleares da Coréia do Norte. Durante o jantar, o Sr. Pompeo usou a vista arrebatadoras para apontar várias características do horizonte de Nova York para o alto funcionário do país mais recluso do mundo. …

As cortinas da Sra. Haley são mais caras do que o conjunto de US $ 31.000 da sala de jantar comprado para o escritório de Ben Carson, secretário do Departamento de Habitação e Desenvolvimento Urbano. …

Enquanto as cortinas da Sra. Haley estavam sendo encomendadas e instaladas, Rex W. Tillerson, o primeiro secretário de Estado do governo, congelou a contratação, afastou muitos dos diplomatas mais graduados do departamento e propôs cortar o orçamento do departamento em 31%.

Apesar de artigos abertamente norteados por agenda, como esses, o The New York Times quer que seus leitores acreditem ser uma fonte objetiva e bipartidária de notícias.

 

ATUALIZAÇÃO: Depois de forte repercussão sobre o artigo enganoso, o New York Times emitiu uma correção .