Por Chris Tomlinson. Leia o artigo completo no Breitbart.

O jornal suecoGefle Dagblad comunicou à polícia uma ameaça de um imã.
O diretor de uma escola muçulmana admitiu a um repórter que havia uma ligação entre a escola e a mesquita que está sendo investigada pelo jornal há vários anos.

A entrevista corria amigavelmente até o imã da mesquita aparecer, subitamente, na sala.

Como o jornal já havia procurado o imã nos últimos quatro anos, sem resposta, o jornalista aproveitou para fazer uma pergunta,então quando a situação escalou dramaticamente.

Depois de tirar uma foto do imã e começar a gravar a conversa, o imã ficou furioso e ameaçou o repórter dizendo-lhe para apagar as fotos.

O redator-chefe do jornal, Anders Ingvarsson, comentou o ocorrido dizendo: “Quando um repórter, sob ameaças, insultos e punhos cerrados, é forçado a apagar imagens, cruza-se uma fronteira onde nossa democracia e a liberdade de imprensa são ameaçadas”.

“A ameaça direta foi ao repórter, mas, por meio dela, o jornalismo para todos os nossos leitores e nossa ambição de retratar a realidade ficam ameaçados”, acrescentou Ingvarsson.