Image: Claas Relotius

Claas Relotius.

Por Ryan Saavedra, no Daily Wire. Leia o artigo completo aqui.

 

Um recente vencedor do prêmio “Jornalista do Ano” da CNN admitiu ter fabricado reportagens durante anos “em grande escala” enquanto esteve na Der Spiegel, uma publicação alemã que alertou que outras organizações de mídia podem ter sido afetadas.

“Claas Relotius, de 33 anos, repórter e editor, falsificou seus artigos em grande escala e até inventou personagens, enganando os leitores e seus colegas”, relatou o Der Spiegel . “Isso foi descoberto como resultado de dicas, pesquisas internas e, finalmente, uma confissão completa do próprio editor.”

“Claas Relotius cometeu seu engano intencionalmente, metodicamente e com intenção criminosa”, continuou Der Spiegel. “Por exemplo, ele incluiu indivíduos em suas histórias que ele nunca conheceu e com quem nunca falou. ”

The Wrap observou que Relotius, de 33 anos, “ganhou o prêmio de Jornalista do Ano da CNN em 2014 na categoria de melhor impressa pela história ‘Assassinos como Carreiras’, publicada na publicação suíça Reportagen.”

A CNN não respondeu a um pedido de comentário.

A rede,  que, reiteradamente, é classificada como a rede de notícias a cabo menos confiável – teve que retirar vários artigos falsos, que aparentemente foram negativos para o presidente Donald Trump.

Em 2017, três jornalistas da CNN que escreveram um artigo falso sobre Anthony Scaramucci renunciaram a seus cargos depois que a rede foi forçada a emitir uma retração embaraçosa.

Em dezembro passado, a CNN relatou outra notícia chocante exclusiva que mais tarde teve que  retificar.