Presidente da Associated Press, Gary B. Pruitt, terceiro da esquerda para a direita.

 

 

Por Ashe Schow, no Daily Wire.

A Associated Press parece ter passado dos limites em um artigo publicado no dia 31 de agosto. Eis o lede:

Um advogado do Departamento de Justiça dos Estados Unidos disse que um ex-espião britânico disse a ele, em uma reunião de café da manhã há dois anos, que a inteligência russa acreditava ter “encurralado” Donald Trump, segundo várias pessoas familiarizadas com o encontro.

 

 

Contei cinco vezes a distrância da fonte original, mas o Twitter parece indicar que a distância é ainda maior. Temos a “inteligência russa”, Christopher Steele (ex-espião britânico), Bruce Ohr (ex-oficial do DOJ), advogados do DOJ, legisladores, “fontes” e a Associated Press.

O federalista Sean Davis resumiu melhor:

A namorada do irmão do namorado da irmã do meu melhor amigo ouviu dizer desse cara que sabe que esse rapaz que está saindo com a menina que viu um agente de inteligência russo falando sobre o Trump, na lanchonete ontem à noite