Por Joseph Curl, no Daily Wire.

“Trump chama a imprensa de ‘o inimigo do povo norte-americano'”, dizia a manchete do The New York Times em 17 de fevereiro de 2017.

“O presidente Trump, em uma extraordinária repreensão às organizações de imprensa do país, escreveu no Twitter na sexta-feira que a mídia noticiosa da nação ‘é inimiga do povo americano'”, disse a manchete do artigo.

Mas Trump não disse isso. O que ele disse foi o seguinte: “A imprensa do FAKE NEWS (o deficiente @nytimes, @NBCNews, @ABC, @CBS, @CNN) não é meu inimigo, é o inimigo do povo americano!”

 

Não “a imprensa da nação”, como o Times escreveu, mas “a imprensa do FAKE NEWS”. Grande diferença.

Assim, com um artigo, supostamente sobre como Trump chamou toda a mídia americana de “o inimigo”, o Times fez exatamente o que Trump estava reclamando: eles omitiram algumas palavras, transformaram a história em um discurso liberal – e provaram que Trump está absolutamente certo! A parte desonesta do Times no tweet de Trump é a própria definição de “notícias falsas”.

Mas o ataque não parou aí. No dia 16 de agosto, mais de 300 jornais nos EUA publicaram editoriais anti-Trump em um esforço coordenado pelo The Boston Globe.

A própria peça do Globe deu o tom do que os editoriais tratavam:

“Substituir uma imprensa livre por uma imprensa estatal sempre foi uma prioridade para qualquer regime corrupto que assuma um país. Hoje, nos Estados Unidos, temos um presidente que criou um mantra de que os membros da imprensa que não “apoiam, ostensivamente, as políticas da atual administração dos EUA são o ‘inimigo do povo’. Essa é uma das muitas mentiras lançadas por esse presidente, como um charlatão dos velhos tempos lançava poeira ou água “mágica” em uma multidão esperançosa”, escreveu o Globe.

A peça continua citando John Adams, elogiando “jornalistas que oferecem escrutínio independente”, atacando os partidários de Trump por “segui-lo em território antidemocrático” e comparando o presidente dos EUA a “autoritários do século XXI como Vladimir Putin e Recep Tayyip Erdogan”.

O Globe disse que Trump está tentando fazer lavagem cerebral nos americanos em um esforço orwelliano para obscurecer a verdade. “De fato, não é apenas o fato de o presidente estar estimulando a divisão doméstica para ganhos políticos e pessoais, ele está pedindo ao seu público para segui-lo até a Fantasia.” Continue com a gente, não acredite na porcaria, que você vê, dessas pessoas, as notícias falsas “, ele disse a um público em Kansas, em julho.” Lembre-se, o que você está vendo e o que está lendo não é o que está acontecendo. George Orwell colocou isso mais graciosamente em seu romance “1984”. “O partido disse para você rejeitar a evidência de seus olhos e ouvidos. Foi o comando final mais essencial deles.”

Mas Trump mirou no esforço coordenado do dia 16,, escrevendo no Twitter: “O Boston Globe, que foi vendido para o Fracassado New York Times por 1,3 bilhão de dólares (mais 800 milhões de dólares em perdas e investimentos), ou 2,1 bilhões de dólares, foi, então, vendido pelo Times por 1 DOLLAR. Agora, o Globe está em CONLUIO com outros jornais sobre a imprensa livre. PROVE!”

Ele escreveu isto: “Não há nada que eu queira mais para o nosso país do que a verdadeira LIBERDADE DA IMPRENSA. O fato é que a imprensa é LIVRE para escrever e dizer o que quiser, mas muito do que diz são NOTÍCIAS FALSAS, empurrando uma agenda política ou simplesmente tentando machucar as pessoas. A HONESTIDADE GANHA! ”

Um estudo realizado pelo Media Research Center, no ano passado, descobriu que 91% da cobertura das notícias noturnas, oferecidas pela ABC, CBS e NBC foi negativa em relação a setembro, outubro e novembro. Quando a história de Stormy Daniels se apareceu, seu advogado foi entrevistado 147 vezes durante 10 semanas.

O Centro de Pesquisa de Mídia, no mês passado, examinou a cobertura de notícias na ABC, CBS e NBC, e descobriu que, nos 18 meses anteriores, 92% das matérias sobre os planos de imigração de Trump eram negativas.

Seria uma coisa se a falsa mídia americana tivesse criticado os dois últimos presidentes democratas – eles não fizeram. A CNN ficou conhecida como “Clinton News Network” e o Times bajulou Barack Obama, por oito anos consecutivos (mesmo quando ele passou por cima da liberdade de imprensa). Ao mesmo tempo, é claro que eles não perderam nenhuma chance de atcar George W. Bush.

Então a mídia falsa perdeu o direito de reclamar. Eles NÃO estão falando a verdade ao poder, eles estão defendendo sua própria agenda.