Por Ben Shapiro, no Daily Wire.

 

Jack Dorsey, CEO do Twitter, lançou um tópico explicando que o serviço começaria a censurar contas e a reorganizar algoritmos a fim de

“aumentar a saúde coletiva, a transparência e a civilidade da conversação pública, e nos responsabilizarmos publicamente pelo progresso. ”

“Por que? Amamos conversação e envio de mensagens globais e instantâneas. É isso que o Twitter é e é por isso que estamos aqui. Mas não havíamos predito completamente nem entendido as consequências negativas do mundo real. Reconhecemos isso agora, e estamos determinados a encontrar soluções holísticas e justas.”

“Temos testemunhado abuso,  assédio, exércitos de trolls, manipulação apor meio de bots e coordenação humana, campanhas de desinformação e câmaras de eco cada vez mais divisórias. Não nos orgulhamos de como as pessoas aproveitaram o nosso serviço ou a nossa incapacidade de abordá-lo com rapidez suficiente.”

“Enquanto trabalhamos para corrigir isso, fomos acusados de apatia, censura, preconceito político e de tirar vantagem para nossos negócios e preços das ações, em vez de nos preocuparmos com a sociedade. Isso não é quem somos, nem quem queremos ser.”

“Concentramos a maior parte dos nossos esforços na remoção de conteúdo contrário aos nossos termos, em vez de construir um quadro sistêmico para ajudar a promover um debate mais saudável, conversações e pensamento crítico. Esta é a abordagem de que precisamos agora.”

“Recentemente, nos fizeram uma pergunta simples: podemos medir a “saúde” da conversação no Twitter? Isso pareceu imediatamente tangível à medida que se falava em entender um sistema holístico em vez de apenas as partes problemáticas.”

“Se você quiser melhorar algo, você deve ser capaz de medi-lo. O corpo humano tem uma série de indicadores de saúde geral, alguns muito simples, como a temperatura interna. Nós sabemos como medi-lo, e nós conhecemos alguns métodos para recuperá-lo.”

“Nossos amigos no @cortico e @socialmachines nos apresentaram o conceito de medir a saúde conversacional. Eles apresentaram quatro indicadores: atenção compartilhada, realidade compartilhada, variedade de opinião e receptividade. Leia sobre o seu trabalho aqui.

“Ainda não sabemos se esses são os indicadores corretos da saúde da conversação para o Twitter. E ainda não sabemos a melhor forma de medi-los, nem as melhores maneiras de ajudar as pessoas a aumentar a saúde pública individual, comunitária e, em última análise, global.”

“O que sabemos é que devemos nos comprometer com um conjunto de métricas rigorosas e controladas de forma independente para medir a saúde da conversação pública no Twitter. E devemos nos comprometer a compartilhar nossos resultados publicamente, para beneficiar todos os que servem a conversação pública.”

“Nós simplesmente não podemos e não queremos fazer isso sozinhos. Então, estamos buscando ajuda, abrindo um processo  de RFP* para lançar a rede mais ampla possível por ideias e implementações excelentes. Isso levará tempo, e estamos empenhados em fornecer todos os recursos necessários. RFP: https://blog.twitter.com/official/en_us/topics/company/2018/twitter-health-metrics-proposal-submission.html ..

Nós vamos receber muitos comentários sobre esse tópico e essas ideias, e pretendemos trabalhar rápido para aprender com elas e compartilhar as conversas em andamento. @Vijaya, @mrdonut e eu faremos um Periscope** na próxima semana para compartilhar mais detalhes e responder perguntas.

“Obrigado pelo seu tempo, por ler e considerar, e também, venha nos ajudar careers.twitter.com

 

 

 

Isto é, para dizer o mínimo, linguagem dupla Orwelliana.

Os termos de serviço no Twitter já foram utilizados de maneiras diferentes, com base nas opiniões políticas. O racismo da extrema direita foi alvo do Twitter. O racismo da esquerda radical foi amplamente ignorado. Os usuários desagradáveis da extrema-direitativeram sua verificação despojada,

como se a fraude contra o usuário não tivesse problema, desde que o Twitter não goste de você. Assim como com o Facebook e o Google, os algoritmos supostamente imparciais revelaram-se, na prática, tendenciosos.

Além disso, é óbvio que as tentativas do Twitter de promover a conversa “saudável” estão condenadas ao fracasso. Diferentes opiniões criam polêmica. Sempre vão criar. A menos que você esteja disposto a banir todos aqueles que são mais incivilizados em relação à política – e geralmente, essas pessoas são as que mais deveriam ser expostas a opiniões diferentes – você terá que enfrentar uma guerra de flaming***. Tudo bem. É assim que a liberdade de expressão funciona. Estabelecimentos que priorizam a civilidade acima da conversa áspera, estão destinados à lata do lixo. Sempre foi assim.

O problema com nossa conversação política não é o Twitter. Somos nós. E o desejo do Twitter por um sistema mais virtuoso – ou seja, o sistema de cima para baixo – não nos tornará mais virtuosos como pessoas. Na verdade, tornará a política mais contenciosa, dado que a liderança do Twitter considera pessoas como Deray McKesson absolutamente anódinas. As pessoas à direita no espectro político sentirão, acertadamente, que estão sendo alvo e se rebelarão. E isso tornará a conversa muito pior.

 

*  Request For Proposal

** Periscope is a video streaming app allowing smartphone users to transmit what they are filming in real time, over 3g 4g connection or wifi jun 16, also, because owned by twitter, it automatically links up with your twitter account.

*** Flaming é o ato de publicar mensagens deliberadamente ofensivas e/ou com a intenção de provocar reações hostis dentro do contexto de uma discussão.