Por Oliver J J Lane. Leia o artigo completo no Breitbart.

A União Europeia criou o seu próprio serviço de “verificação de fatos” para combater a disseminação das chamadas “fake news” antes das eleições europeias de maio.

O novo site ‘Decoders of Europe’, com base no Boulevard St Germain de Paris, procura responder a uma série de perguntas ou acusações, explicando o que constitui a realidade e, por vezes, a complexidade das políticas europeias.

O site foi lançado por Isabelle Jegouzo, chefe da Representação da Comissão Europeia na França. Ela disse: “Sem se envolver em política, queremos informar os cidadãos, restaurar o equilíbrio entre factual e desinformação”

A maioria dos “verificadores independentes de fatos” atualmente em operação tendem a um forte viés liberal-esquerdista. O Snopes, por exemplo, classificou como verdadeiros memes anti-conservadores desmascarados, e um artigo claramente satírico sobre a rede de notícias esquerdista CNN comprando uma máquina de lavar roupa para “analisar as notícias”* como “falsa”, como se pudesse ter sido uma notícia genuína.

O PolitiFact, outro “verificador de fatos” bem conhecido, classificou as  afirmações precisas do presidente dos EUA Donald Trump sobre o arsenal nuclear da Rússia como apenas “meio-verdadeiras”, alegando que ele “estava perdendo a visão geral”. Também havia afirmado que Hilary Clinton pedir fronteiras abertas era “na maior parte falso”, apesar de ela ter afirmado claramente: “Meu sonho é um mercado comum hemisférico, com comércio aberto e fronteiras abertas”.

A iniciativa de criar o website segue ações que a UE já adotou para combater supostas “notícias falsas” como parte de uma estratégia ampla. De acordo com questões colocadas à comissão, a UE tem um plano de quatro pontos, que descreveu como:

Melhorar as capacidades das instituições da União para detectar, analisar e expor a desinformação; 
Reforçar as respostas coordenadas e conjuntas das instituições da UE e dos Estados-Membros à desinformação; 
Mobilizar o setor privado para combater a desinformação; e 
Aumentar a conscientização sobre a desinformação e melhorar a resiliência social.

Em dezembro de 2018, a UE discutira a possibilidade desse site, declarando que deveriam ser introduzidas “medidas para combater a desinformação online, incluindo um Código de Boas Práticas de Desinformação em toda a UE, assinado por grandes plataformas online e o setor de publicidade, bem como apoio para uma rede independente de verificadores de fatos”

O site parece ser uma reação ao surgimento de partidos eurocépticos e populistas. Artigos indicam que um terço dos assentos nas eleições podem ser ganhos por partidos populistas de toda a Europa.

O “checador de fatos” da grande mídia francesa ganha $50.000 de instituto fundado por Soros.

* trocadilho com a plavra “spin”, girar, em inglês.

Siga a Breitbart London no Facebook: Breitbart London