O Monopólio da Informação pelo Facebook.

Por Editorial

Por Allum Bokhari. Leia o artigo completo no Breitbart.

Na terceira semana de março, um “bug” do Facebook  censurou milhares de links para notícias genuínas sobre o coronavírus Wuhan, rotulando-os incorretamente como “spam”.

No exato momento em que milhões de usuários do Facebook desejam acessar notícias sobre o vírus, um suposto erro da maior rede social do mundo os impediu de fazê-lo.

A informação era de que os links para sites sérios eram contrários aos “padrões da comunidade” do Facebook e não podiam ser publicados, impedindo os usuários de compartilhar informações importantes.

Isso mostra os perigos de se permitir que apenas uma empresa domine o sistema de notícias da América e de grandes partes do mundo. Um único erro pode cortar informações vitais para mais de um bilhão de usuários.

É aí que o Facebook censura as notícias por acidente. Já houve casos em que Mark Zuckerberg, editor-chefe de fato dos  Estados Unidos, decidiu que as matérias dignas de se noticiar não são dignas de nota afinal.

Conforme Breitbart News já disse:

No passado, uma notícia tinha que convencer várias pessoas até chegar a ser publicada. Em primeiro lugar, um repórter teria que ser convencido a escrevê-la. O repórter teria que convencer seu editor a publicá-la. Se fosse bem-sucedido, o artigo apareceria online e impresso. Hoje em dia, porém, há outra pessoa que deve ser convencida: Mark Zuckerberg.

O CEO do Facebook nos lembrou de seu papel crescente como editor-chefe, de fato, da América durante a controvérsia sobre o suposto “denunciante” Eric Ciaramella. Inúmeros meios de comunicação conservadores foram impedidos de publicar histórias nomeando Ciaramella como suposto denunciante no Facebook.

Os artigos ainda estão disponíveis nesses sites de notícias, é claro. Mas em um mundo em que 52% dos americanos obtêm suas notícias diretamente do Facebook, isso está se tornando cada vez menos aceitável. Mark Zuckerberg agora é um guardião da informação em metade do país, separando e escolhendo as notícias que os americanos lêem.

O Facebook provou ser não apenas tendencioso, mas também não confiável. É hora dos americanos começarem a re-aprender a arte de descobrir notícias em partes da Internet que não são controladas por Mark Zuckerberg.

Você é membro do Google, Reddit, Facebook, Twitter ou qualquer outra empresa de tecnologia que deseja revelar confidencialmente delitos ou preconceitos políticos em sua empresa? Entre em contato com Allum Bokhari em seu endereço de e-mail seguro  [email protected] . 

Allum Bokhari é o correspondente sênior de tecnologia da Breitbart News.