Mohammed Elshamy, o Editor Anti-semita da CNN

Por Editorial

Mohammed Elshamy

Por Matthew Boyle. Leia o artigo completo no Breitbart.

Um editor da CNN se demitiu depois que ressurgiram uma série de comentários antissemitas que ele fizera.

A declaração da CNN de aceitar a renúncia do editor deixa claro que o editor trabalhou na CNN por algum tempo e fez as declarações anti-semitas em 2011. Entre elas:

Mais de 4 porcos judeus mortos em Jerusalém hoje pela explosão de uma bomba palestina.

Resta saber se a CNN será honesta com seu público sobre esse assunto e sobre quaisquer investigações internas sobre ele. A CNN tem um histórico de encobrir pedidos de demissão de pessoas envolvidas em escândalos em sua organização. Em 2017, três altos funcionários da CNN pediram demissão em meio a uma notícia falsa sobre a investigação russa – e a CNN ainda não respondeu a uma série de perguntas sobre o assunto e não publicou, como é o padrão ético para organizações que pretendem publicar conteúdo de notícias, conclusões da investigação interna sobre a publicação dessa notícia falsa.

Os porta-vozes da CNN não responderam às perguntas sobre quem contratou Elshamy, como esses comentários não foram encontrados durante o processo de contratação quando estavam publicamente disponíveis naquele momento, se alguém seria responsabilizado pelos graves erros cometidos durante a investigação do pessoal da CNN. e se a CNN conduzirá uma revisão de outros funcionários para comentários anti-semitas ou uma revisão do conteúdo publicado da CNN no qual Elshamy teve um papel.

A equipe da CNN também não respondeu se tais revisões, se feitas, serão do interesse da integridade jornalística tornada pública para o público da CNN ver.

A CNN estará moderando os debates presidenciais democratas na semana que vem. Não está claro se o crescente anti-semitismo da esquerda é um assunto que a CNN abordará em questões para os candidatos presidenciais democratas. Nesta fase, os porta-vozes da rede não responderam se tal anti-semitismo crescente – como mostrado pelos deputados democratas Rashida Tlaib (D-MI) e Ilhan Omar (D-MN) em particular – está fora dos limites no debate na sequência do Renúncia de Elshamy.

Política de mídia antissemitismo CNN notícias falsas Mohammed Elshamy