Washington Post Ridicularizado por Manchete sobre Terrorista.

Por Editorial

Lema do Washington Post: “A Democracia morre nas trevas”

Por Frank Camp. Leia o artigo completo no Daily Wire.

Na manhã de domingo, o Washington Post publicou um artigo sobre a morte do líder do ISIS Abu Bakr al-Baghdadi. 

Imagem de vídeo divulgado pelo ISIS que integra sua propaganda.

O título original do artigo era:

“Abu Bakr al-Baghdadi, o ‘terrorista-chefe’ do Estado Islâmico, morre aos 48 anos.” Mas o título foi alterado para:

“Abu Bakr al- Baghdadi, austero estudioso religioso no comando do Estado Islâmico, morre aos 48 anos.”

Imagem de vídeo divulgado pelo ISIS como propaganda de suas realizações

Depois de receber uma reação significativa, o título foi alterado pela última vez:

“Abu Bakr al-Baghdadi, líder extremista do Estado Islâmico, morre aos 48 anos”.

Na tarde de domingo, o vice-presidente de comunicações do Washington Post disse o seguinte sobre a controvérsia do título: “Em relação ao obituário de al-Baghdadi, a manchete nunca deveria ter sido assim e nós a mudamos rapidamente”.

Como o Washington Post vê…
terrorista doméstico x estudioso religioso austero

Esse ridículo embaralhamento de títulos levou à hashtag #WaPoDeathNotices, que até a publicação ficou em quinto lugar no Twitter.

Abaixo estão os avisos de morte falsos mais engraçados e inteligentes que zombam do The Washington Post:

Jeffrey Dahmer, ativista-pioneiro LGBT, romântico não convencional e gastronomista de vanguarda faleceu aos 34 anos, rodeado por seus cuidadores.

Jeffrey Lionel Dahmer foi um serial killer. Assassinou 17 homens e garotos. Seus crimes eram particularmente hediondos, envolvendo estupro, necrofilia e canibalismo.

A Bruxa Malvada do Oeste, irmã devota, entusiasta de vassouras, morreu repentinamente por saturação, idade desconhecida. (Vilã de O Mágico de Oz).
Adolf Hitler, planejador comunitário apaixonado e orador público dinâmico, morre aos 56 anos.
Ted Bundy, artista não convencional, morre aos 42 anos de maneira chocante.

Um dos mais temíveis assassinos em série da história dos Estados Unidos

O imperador Palpatine, austero detentor de poderes de emergência e defensor da democracia, morreu após uma queda.
Nero, imperador que ajudou os cristãos a trazer luz a Roma, morre aos 30 anos.
Sauron, colecionador apaixonado de jóias raras, morto, idade desconhecida.
John Wayne Gacy, artista infantil excêntrico, morre aos 52 anos.
John Wilkes Booth, conhecido como ator dramático, morre aos 24 anos.
Mao Zedong, que salvou de 20 a 45 milhões de pessoas do seu país de sofrer com a luta da existência, morre aos 82 anos.
Saddam Hussein, político de sucesso, barão do petróleo e conhecido chefe duro, morreu aos 69 anos.
Charles Manson, famoso compositor e líder em meditação, morreu aos 83 anos.
Al Capone, conhecido empreendedor autônomo, morre aos 48 anos.
Heinrich Himmler, criador de galinhas apaixonado, morre inesperadamente aos 44 anos.

O contraste entre a maneira como o Washington Post deu a manchete da morte de Abu Bakr al-Baghdadi sob o governo do presidente Trump e a maneira como o jornal deu a manchete da morte de Osama Bin Laden sob o governo do presidente Obama torna a hashtag #WaPoDeathNotices ainda mais importante.

Em 2 de maio de 2011, depois de ter sido anunciado que Osama Bin Ladin havia sido morto, o Washington Post estampou uma manchete muito mais simples : “Osama bin Laden morto: o líder do grupo terrorista al-Qaeda tinha 54 anos”.

“Osama bin Laden morto: o líder do grupo terrorista al-Qaeda tinha 54 anos”.