Jornalista Morto por Causa de sua Raça.

Por Editorial

 

An Asbury Park Press freelance photographer and former staff photographer with Greater Media Newspapers, Jerry Wolkowitz, left, died Thursday. Jamil S. Hubbard has been charged in the assault.

Jerry Wolkowitz, à direita, a vítima. Jamil S. Hubbard, à esquerda, acusado do ataque

 

Crime de ódio: jornalista branco morre 6 meses após ataque brutal

Image may contain: 1 person, beard and closeup

Por Ashe Schow no Daily Wire.

A mídia geralmente se apressa em defender aqueles que podem ser considerados um dos seus, basta olhar para a cobertura do nacionalista saudita Jamal Khashoggi.

Uma história que provavelmente não atrairá a atenção do público, no entanto, é a morte de Jerry Wolkowitz, um fotógrafo freelancer de Nova Jersey que foi atacado seis meses atrás por causa de sua raça, segundo a polícia .

Wolkowitz foi atingido por trás enquanto estava no estacionamento de seu complexo de apartamentos. Jamil S. Hubbard atingiu Wolkowitz em sua cabeça e rosto e, em seguida, arrastou-o para o estacionamento. Hubbard, então, atropelou Wolkowitz com seu próprio carro, antes de roubar o veículo do jornalista e fugir da cena, disseram os promotores.

“A investigação determinou que o réu visou a vítima por causa de sua raça”, disse Chris Swendeman, porta-voz do Ministério Público do condado de Monmouth. Hubbard, que é negro, não conhecia Wolkowitz anteriormente.

Wolkowitz passou os seis meses seguintes em estado vegetativo no hospital. Uma página do GoFundMe foi criada para ajudar a pagar as contas do hospital e arrecadou US $ 14.449 de uma meta de US $ 25.000 no momento da redação deste artigo. Wolkowitz morreu em 18 de outubro .

Wolkowitz era repórter e membro vitalício do Freehold, NJ First Aid e Rescue Squad, onde orientava jovens paramédicos.

“Hubbard foi acusado de tentativa de homicídio em primeiro grau, posse de arma em terceiro grau para fins ilegais e intimidação de preconceito em primeiro grau. Ele permanece sob custódia ”, relatou NJ101.5. “Swendeman não divulgou se novas acusações seriam feitas.”