helderbarbalho em seu twitter: “Pelo não cumprimento das regras previstas pela OMS e por crime contra a Saúde Pública, de acordo com o artigo 268 do Código Penal Brasileiro, a loja Havan, localizada na Augusto Montenegro, inaugurada hoje, foi fechada pelas polícia Civil e Militar do Pará, além da Secretaria de Saúde do Estado.”

Apenas a título de ilustração, Helder, começou cedo nessa vida nebulosa:
– Dessa forma é que responde na Justiça Federal por improbidade administrativa, por conta de sua atuação enquanto prefeito de Ananindeua – Pa.
– Tendo tido também, um pedido de bloqueio de bens pela compra enevoada de remédios e pela contratação de serviços para a área da Saúde de empresas fantasmas.
– Lembrando que a gestão não explicou adequadamente a importância de R$ 1.800.000,00 verba esta destinada a programas de Saúde, segundo consta, as despesas em questão, não tiveram a comprovação adequada.
– Tendo havido uma auditoria no Ministério da Saúde, foram encontrados, ao menos, vestígios de fraudes na aquisição de ambulâncias, onde a empresa vencedora para a negociação das referidas ambulâncias, foi a PLANAN, empresa que além de tudo, foi pivô na Operação Sanguessuga.

Já o genitor do indivíduo, tem uma história interessante também, conforme consta da Agência Senado:
– Se fato ou fita, o tempo dirá, no entanto o que corre hoje é o envolvimento de Jader Barbalho em fraudes na SUDAM – Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia, com desvio de recursos do BANPARÁ – Banco do Estado do Pará, e também por operações, consideradas fraudulentas, utilizando-se de TDA – Títulos da Dívida Agrária.
– Entre outras coisas, existe, o inquérito nº 2909, em segredo de Justiça, que se destina a apurar o envolvimento de Jader Barbalho em crimes contra a ordem tributária. Estas denúncias observam a sonegação de impostos como pessoa física e pessoa jurídica, incluindo aí, entrega de declarações fraudulentas à Fazenda Estadual e à Receita Federal.
– Não se ignora aqui as irregularidades, oriundas da venda simulada de gado a frigoríficos sem nenhum registro contábil.
– Junte-se a isto o fato desse mesmo homem ter renunciado ao mandato de senador em 2001, justamente para escapar da cassação, que o faria inelegível por dez anos.
– No entanto, como desgraça pouca é bobagem, o homem que já apresenta um currículo invejável a grandes sonegadores, Jader Barbalho teria omitido da Justiça Eleitoral a titularidade de 50% da empresa de Rádio e TV Tapajós Ltda. Ele havia entrado para a sociedade em 2001, porém, o documento não chegou a ser registrado na Junta Comercial do Pará.

Entretanto a esse agravo, um homem polido, bem educado, nobre de berço, Luciano Hang, vem a público e responde ao pobre coitado, filhinho e possivelmente, orgulho de papai Jader.
luciano.hang diz em reposta ao twitter de Helder: “Helder peço desculpas, não esperávamos receber tanto carinho do povo Paraense. Temos procedimentos sanitários em todas as nossas 150 mega lojas espalhadas pelo Brasil mas hoje foi humanamente impossível executá-lo. Todo esse carinho vou retribuir abrindo mais lojas por todo o Estado do Pará e espero um dia poder conhecê-lo pessoalmente. Abraço do Luciano.”

Pedindo a permissão ao poeta Adoniran Barbosa: “A saudade é um bichinho que prá roer tá sozinho. E como rói a bandida. Parece rato em queijo parmesão.”, eu digo que inveja é um bicho que rói e com muita força, percebe-se isso, pelo ato do indigno já quase ex-governador e candidato a outros postos da sociedade civil Helder.
Vejo que o ilustre Luciano Hang, como sempre, foi muito cavalheiro e gentil com o coronézinho do Pará, mas, meu caro Helder, cargo público é como diarreia, dá e passa, já a cordialidade e o respeito, e ética e moral, são coisas que se adquirem para que te acompanhe para o resto da vida.
Ao ver a atitude de Helder, entendemos que Dória não está sozinho na destruição dos meios de renda de seus cidadãos, haja vista o fato de que Luciano com suas lojas, abre sempre, centenas de postos de trabalho, além da carga tributária que suas lojas, com certeza abastecem os cofres onde se instalam.
Mas claro, se o povo do Pará encontra uma fonte tão forte e segura de renda, como justificar a venda das riquíssimas áreas a empresários chineses, ou, amparados por chineses?

Helder meu caro, quem nasceu para plebeu, nunca será majestade, e não é um cargo público que o torna. Lembre-se, tu depende do voto de ignorantes e analfabetos, porque pessoas com um pingo de moral, ética, decência e vergonha na cara, dir-lhe-ia nas fuças, o quanto tu vales, ou seja, NADA!

(ap. Ely Silmar Vidal – Teólogo: COJAE 0001-12-PF-BR; Psicanalista: CONIPSI CIP: 0001-12-PF-BR; Jornalista: DRT-0009597/PR e presidente do CIEP – Clube de Imprensa Estado do Paraná)

Contato:
(41) 98514-8333
(41) 99109-8374
(41) 99821-2381 (WhatsApp)

Mensagem 11102020 – Cargo público é como diarreia, dá e passa – (imagens da internet)

Aproveito para deixar claro que os trabalhos que tenho desenvolvido, são de pura e simplesmente divulgação do que acho interessante para conhecimento geral, e não busco ganho algum com isto, senão o de transmitir conhecimento.

Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos: (ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)

leia este texto completo e outros em:

http://www.portaldaradio.com

@elyvidal @radiocrista @pastorelyvidal @conipsip @CiepClube
#FalaPortaldaRadio #conipsi #cojae #dojae