A história, seja ela recente ou remota, é mais ou menos escondida do restante da população, porque, povo culto, não interessa aos governos populistas… Ou seja, não interessa à esquerda povo que saiba de onde vem e para onde vai, porque isso apenas quebra os grilhões que a ignorância lança sobre os ombros dos menos favorecidos.
E é por esse motivo que não se fala do Chile, e quando se fala, escondem-se os avanços; porque muito do que avançou o Chile, tem-se um crédito a ser dado ao que hoje responde pelo nosso Ministério da Economia.
Sim, é isso mesmo, o que hoje responde pela pasta, o tal Paulo Guedes, tem participação no crescimento econômico-financeiro do Chile.

No Chile hoje, o esquerdismo virou, algo como uma desastrosa lembrança de tempos passados.
Essa esquerda fétida, hoje está, praticamente extinta no Chile, que conta hoje com um salário mínimo de U$ 450, o que significa algo em torno de 300 mil pesos, ou trazendo para nossa moeda, R$ 1.800,00

Lá como cá, existe, como sempre existiu, o tal sistema previdenciário. A diferença, está no fato de que hoje esse sistema funciona por capitalização, e isso significa que: Se você contribui pouco, receberá também pouco. Se você contribui mais, naturalmente, receberá mais.

Assim mesmo, posto que o País se viu ameaçado pelo inchaço da cadeia previdenciária, buscaram uma melhor acomodação, que foi encontrada, justamente no sistema de capitalização.

As regras não mudam, e como na maioria dos demais países, o tempo de contribuição continua sendo a baliza para os proventos, assim que 35 anos é o proposto.
E mesmo assim, a idade, continua valorando o homem em seus 65 anos e a mulher em seus 60 anos. A fim de que então sejam contemplados com o valor mínimo de 1 salário.

Quanto à carga tributária, encontramos um modelo enxuto, onde o contribuinte pessoa física não paga imposto de renda.
E para as empresas, encontramos o tão propalado, do qual não temos a mínima ideia do que seja, imposto único, que lá atende pelo nome de IVA, ou Imposto sobre Valor Agregado que recai sobre tudo o que é consumido, e mesmo em qualquer transação comercial, fixado em 19%.

Bem, naturalmente que para se ter uma economia tão enxuta, fez-se necessário o encolhimento do estado, e é assim, que o Chile tem somente 4 empresas estatais.

Seria desconexo com a realidade, se imaginássemos não existir as pessoas contrárias a isso. Elas existem e são ferrenhas, e podemos visualizá-las quando reclamam das contribuições, porque almejam mais do que contribuíram, ou benesses sem a devida reciprocidade.

No entanto o que se percebe no povo é um auto senso de responsabilidade, que os incita a cuidar mais e melhor de suas próprias vidas.

Podemos citar algumas coisas que deixaram de existir e que nem por isso, deixam os chilenos tristes:
13º salário ninguém sabe, ninguém nem mesmo quer saber, pois você ganha pelo teu próprio esforço, e sendo recompensado por teu trabalho, não se vê mais a necessidade da “esmola”.

Existe uma segurança na economia de mercado, e por esse motivo, a inflação que não sai de zero, mas que pode chegar a deflação, favorece ao povo que possa guardar seu dinheiro em sua própria casa, afinal de contas, para que colocá-lo no banco se os rendimentos serão ínfimos?
Afinal sem inflação, os rendimentos bancários sempre serão muito baixos.

Aos empreendedores, é facultada a facilidade de abrir-se uma empresa em apenas um dia

E poderia até parecer demais eu falar que esse é o único país da América Latina, que seu povo não precisa de visto para entrar nos Estados Unidos da América; mas não é demais, porque é fato.

E quando se fala de um governo enxuto, percebe-se uma grande dificuldade na manutenção dos corredores da corrupção. Assim, quando se percebe a manutenção de baixos impostos e taxas de juros baixas, entende-se uma contenção inflacionária; e isso, por si só impulsiona a construção civil, fortalecendo o mercado imobiliário.

Bom, além da série de benefícios que se tem com juros baixos, e com a segurança gerada pela estabilidade econômica, o Chile ainda pode se dar ao luxo de bancar um ensino gratuito até o 9º ano.
Após isso, o segundo grau e faculdade são regulados pelo sistema privado.
No entanto, aos alunos, verdadeiramente sem condições, carentes de fato, podem ainda, buscar a ajuda governamental.
Sempre se terá boas ofertas, bem como facilidades de crédito, uma vez que o País é hoje considerado, extremamente próspero.

E naturalmente que isso não foge aos olhares gulosos dos esquerdóides, que tanto querem tomar conta de uma nação tão próspera, quanto têm receio de que outros países assim o vejam, e dessa forma, seja interditada a sanha esquerdopata nos demais países circunvizinhos, que ao verem o milagre econômico, possam querer espelhar-se e também vir a ser um oásis de esperança na sordidez da politicalha demagógica que se alastra por nosso continente.

Por esse motivo, o nosso brado continua sendo: Brasil acima de tudo, Deus acima de todos!

(ap. Ely Silmar Vidal – Teólogo: COJAE 0001-12-PF-BR; Psicanalista: CONIPSI CIP: 0001-12-PF-BR; Jornalista: DRT-0009597/PR e presidente do CIEP – Clube de Imprensa Estado do Paraná)

Contato:
(41) 98514-8333
(41) 99109-8374
(41) 99821-2381 (WhatsApp)

Mensagem 13092020 – Vislumbre de prosperidade no horizonte – (imagens da internet)

Aproveito para deixar claro que os trabalhos que tenho desenvolvido, são de pura e simplesmente divulgação do que acho interessante para conhecimento geral, e não busco ganho algum com isto, senão o de transmitir conhecimento.

Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos:
(ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)

leia este texto completo e outros em:

http://www.portaldaradio.com

E siga-nos também através deste link: https://open.lbry.com/@portaldaradio:d/Vislumbre-de-prosperidade-no-horizonte:5

@elyvidal @radiocrista @pastorelyvidal @conipsip @CiepClube
#FalaPortaldaRadio #conipsi #cojae #dojae