Dias Toffoli encurralado, vai ao Sindicato dos Metalúrgicos, onde o presidiário Lula tentou achar refúgio, no dia de sua prisão.
Pois bem, Dias Toffoli não me parece ter nem mesmo a envergadura do jegue presidiário, para tentar ao menos ganhar o apoio das centrais sindicais, e além disso, vendo pelo prisma de quem quer ver o País sair do buraco, eu não creio que a sociedade hoje, veja uma central sindical saindo em apoio ao “Amigo do Amigo de meu pai”, e fiquem quietos como cordeirinhos a caminho do abatedouro. Creio mais, que caso essa queda de braço persista, o povo mesmo é capaz, de mandar os sindicalistas de volta para casa, e na melhor das formas, ao estilo “Quero meu País de volta!” Dias Toffoli ao buscar esse apoio, creio, deu um baita de um tiro no pé.
Ele, o “Amigo do Amigo de meu pai”, foi ao Sindicato dos Metalúrgicos, tentar explicar aos sindicalistas, que, (segundo ele, é bom que se ressalte) o judiciário sofre ataques e que alguns setores da sociedade (setores estes, não nomeados corretamente) não entendem o papel do SUPREMO.
Se ele ao menos tivesse ido buscar apoio do Sindicato dos Magistrados, ou mesmo da Associação dos Delegados de Polícia, ou quem sabe, de alguma entidade ligada à magistratura, já seria estranho demais, no entanto, buscar apoio da pelegada PTralha, que se esconde atrás de um sindicato que há muito tempo vem escandalizando por sua participação em inúmeros casos de polícia, isso beira o escabroso, por tratar-se de um membro do STF Supremo Tribunal Federal, que em tese, não deveria ser coagido de forma alguma e por entidade alguma.

Alguns dos Fatos envolvendo o Sindicato dos Metalúrgicos:

Metalúrgicos descobrem fraude em federação
– Em 1997 foi descoberto um desfalque da ordem de R$ 1,7 milhão, através de balanço apresentado, referente ao ano de 1995.
Esse balanço que prestaria contas, daquela gestão, fora apresentado durante uma reunião de diretoria. Essa entidade que estaria ligada a outros 40 sindicatos, viu-se forçada a responder pela descoberta de fraude nas contas da entidade.
Além do fato acima, e que envolve a mesma pessoa, um tal João da Ford, que, como segue:
Em 1996, João da Ford ficou preso um mês, dada a acusação de haver planejado o assassinato de Paulinho. Esta acusação, contra João da Ford teria sido feita pelo segurança Alan Lady Lima de Menezes.
No depoimento dado à polícia, Menezes afirmou, que havia sido contratado por João da Ford, e afirmou mais, que teria recebido R$ 6 mil como adiantamento pelo crime. E que ainda receberia outros R$ 50 mil que deveriam ser pagos a posteriori.
Observa-se pela obviedade dos fatos, que o motivo do crime, naturalmente, teria sido político, pois, João da Ford que teria sido ex-diretor do Sindicato dos Metalúrgicos, fora afastado do cargo por Paulinho.
Bem, como é de praxe da tchurma da limpeza, esse tal Menezes, foi assassinado um mês após a denúncia. – (estes fatos foram apurados através de um texto publicado pela folha e que consta como sendo de autoria de MÁRIO SERAPICOS – da Folha da Tarde)

– Também encontra-se o “Caso Leles”, onde a “Justiça afasta toda a diretoria do Sindicato dos Metalúrgicos” – (Grupo opinião – 15/03/17). Crime de estelionato majorado em virtude de irregularidades na contribuição sindical.
“Restou comprovado que toda a Diretoria estava envolvida, conforme declaração do Presidente e reconhecida pela Justiça Federal. De toda sorte, é inegável o poder de influência que o Presidente exerce sobre a Diretoria, o que macula toda a chapa diretora”, apontou o Juiz.
“Note-se que os réus continuaram praticando o delito no ano de 2016, recebendo valores da contribuição sindical diretamente na boca do caixa, o que contraria a legislação trabalhista”, decidiu a Justiça do Trabalho.

– em 06/04/18, vemos na Revista Veja uma matéria com a seguinte titulação: “Jornalistas são ameaçados no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC”

– E em 13/08/19, a Polícia Federal prendeu o presidente do sindicato dos metalúrgicos de Itatiba, cidade do interior de São Paulo.
A gloriosa PF desencadeou uma operação que investiga crimes de desvio de recursos públicos e que também tem por objetivo combater a corrupção na localidade de Araçatuba – SP.
Nessa ação, foram presos, o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Itatiba – SP, e o pai dele, que é apontado como o líder da Organização criminosa e idealizador de todo o esquema de corrupção.
Restou sabido que os presos seriam indiciados pelos crimes: corrupção ativa e passiva, falsificação de documentos (públicos e privados), peculato, associação criminosa, fraudes em licitações, além de outros. E que, conforme se pode depreender por suas condutas, caso sejam de fato condenados, poderão pegar penas de até 30 anos de reclusão.

Pois bem minha gente, interessante o SUPREMO Dias Toffoli, melindrar-se, em um ambiente como a Central Sindical.

Podemos imaginar que esse ato, nos faz relembrar de frases como:
“Se houver injustiça o Brasil vai pegar fogo, porque nós não aceitamos injustiça!” – (Leo de Brito – deputado federal – PT)

“Não aceitaremos esse tipo de perseguição. A detenção de Lula, empurraria o Brasil para um limbo constitucional, provocando protestos em todo País – (João Pedro Stédile – líder do MST)

“Nós do MST e a maioria dos movimentos populares, que estamos na Frente Brasil Popular, estamos convencidos de que é preciso defender o Lula.” – (João Pedro Stédile – líder do MST)

“Vai ter uma reação popular muito grande. Não nos peçam passividade. Prenderem o Lula sem provas, por um apartamento que não é dele, nesse processo fraudado, é incendiar o Brasil.” – (Lindbergh Farias)

“Temos que colocar nossa tropa nas ruas. Estamos revoltados com essa decisão. Lula é vítima de uma perseguição implacável.” – (Lindbergh Farias)

“Somos vítimas de um golpe. Após a ditadura, foi estabelecido na Constituição um pacto pela redemocratização: voto soberano, eleição livre e democrática. Começaram a romper esse pacto com o afastamento da Dilma. Agora, querem nos tirar para fora do jogo. Querem impedir a candidatura do Lula, sem prova. Não vamos aceitar calados. Só tem uma arma possível neste momento: apostar tudo nas mobilizações de rua.” – (Lindbergh Farias)

“O sistema judicial que está aí faz parte do golpe. Estão fechando os caminhos institucionais. As pessoas têm ilusões, achando que, no momento que querem nos matar, a gente tem que fazer unidade. Temos que nos preparar para enfrentar o inimigo. Tem que ter uma rebelião cidadã. O PT e a esquerda têm que se reorganizar. Não é ficar apostando na via institucional. Sem povo nas ruas, a gente não derrota esse golpe.” – (Lindbergh Farias)

“Vamos tocar fogo neste país” – (Lindbergh Farias)

“Com o fim da dúvida, movimentos sociais, sindicatos, partidos, enfim, toda base social e institucional do projeto político que governa o país há quase uma década e meia já começa a se mobilizar porque, evidentemente, vão tentar prender Lula sem provas, com base em especulações, nem que seja para soltarem-no em seguida, após produzirem fotos que tentarão usar na campanha eleitoral de 2018. …
A pretendida prisão política de Lula vai tocar fogo neste país. Se eles quiserem pagar para ver, vão ver. E vão se arrepender. Precisarão pôr tanques na rua (de novo) para concretizar esse golpe. Aí terão materializado a ditadura que tantas vezes foram à rua pedir nos últimos dois anos e pouco. E, nesse momento, eles terão sido fragorosamente derrotados.” – (Eduardo Guimarães – Blog da Cidadania)

E é lógico que os medalhões não poderiam deixar de ser citados, o ex-ministro e atual presidiário José Dirceu, a uma entrevista que deu ao jornal “El País”, disse que, para o PT tomar o poder, seria uma questão de tempo, e que tomar o poder, deveria ser considerado, como diferente de ganhar uma eleição.”

Vamos para a “rua entrincheirados, com armas na mão, se tentarem derrubar a presidente”. – (Vagner Freitas em 13/03/16 – presidente da CUT)

“Quero paz e democracia, mas também sabemos brigar. Sobretudo quando o Stedile colocar o exército dele nas ruas”. – (Luiz Inácio Lula da Silva – presidiário)

“Se for preciso pegaremos em armas para defender a democracia e o governo eleito democraticamente pelo povo. E só pra lembra [sic] em 64 já fizemos para ter essa democracia que temos hoje” – (Elio Brasil – dirigente sindical PT)

“Para prender o Lula, vai ter que prender muita gente, mas, mais do que isso, vai ter que matar gente” – (Gleisi Hoffmann)

“Eu estou disposto a pegar em armas se preciso for.” – (Márcio Retamero – Igreja da Comunidade Metropolitana Betel)

O canalha resolveu agora fundar o Partido do Supremo Tribunal Federal, e por isso foi fazer politicagem, e como muito bem aprendeu com seus mestres, já foi direto iniciar na Central Sindical. E lá ele estava falando em desenvolvimento com geração de empregos… A pergunta é: O Dias Toffoli é candidato a alguma coisa que eu não saiba?

(ap. Ely Silmar Vidal – Teólogo, Psicanalista, Jornalista e presidente do CIEP – Clube de Imprensa Estado do Paraná)

Contato:
(41) 98514-8333 (OI)
(41) 99109-8374 (Vivo)
(41) 99821-2381 (WhatsApp)

Mensagem 310819 – A pelegada se reúne, qual seria a pauta? – (imagens da internet)

Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos: (ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)

leia este texto completo e outros em:

http://www.portaldaradio.com

@elyvidal @radiocrista @pastorelyvidal @conipsip @CiepClube
#FalaPortaldaRadio #conipsi #cojae #dojae