Mas enquanto o povo se ferra, continuamos observando que a vida continua…
O povo continua necessitando dos serviços bancários e afins. Naturalmente que isso continua trazendo e sendo os responsáveis por uma gama infinita de problemas, pois claro, onde estão as filas? Em bancos e lotéricas naturalmente.
Infelizmente não se pode abrir mão dos serviços prestados por estes, afinal de contas, você deixou de receber as cobranças em suas casas?
Naturalmente que não, pois os prestadores de serviços, quer sejam os essenciais ou não, continuam a cobrar, aquilo, pelo qual já foi acordado anteriormente. Enfim, impostos, planos de saúde, planos funerários, água, luz, telefonia, e demais impostos, tributos, ou mesmo contas de carnês etc… continuam, achando o endereço de tua casa, pois, você não mudou de endereço, o que mudou foi a forma como você tem que viver.
Teu trabalho simplesmente foi estancado de forma abrupta e sem te perguntarem o que é que você acha. Os setores ditos essenciais, que continuaram funcionando, não deixaram de ser afetados com o aumento de preços, uma vez que não têm o serviço de reposição garantida, quer seja pela falta de produtos, quer seja pela falta no serviço de entregas, enfim… Os preços, não poderiam deixar de aumentar. Essa é a vida que segue.
Todos os setores parados, ou quase parando, alimentos, construção civil, transportes, lojas em geral, empreendedores de forma geral, indústrias.
Tudo contribuindo para a derrocada da economia. Alguns poucos que conseguirem sair dessa roda viva incólumes, com toda a certeza, poderão vir a ser chamados de verdadeiros milagres. Isso não reflete o quadro desesperador que estamos vivendo.
Isso jamais vai denunciar às futuras gerações, o que de fato aconteceu.
Ninguém ousará imaginar, que homens, travestidos de seres humanos, prendiam o povo trabalhador, enquanto soltavam presos condenados pelos mais diversos crimes.
O trabalhador passa a ser algemado, agredido, achincalhado, jogado ao chão, por seres fortes e valentes, que demonstram toda a sua força, contra pessoas desarmadas e totalmente impotentes, ante o uso dessa força que representa o estado.
Mas enquanto isso, criminosos, de diferentes calibres circulam livremente, e alguns inclusive, com a incumbência de dizer ao cidadão de bem, ao povo trabalhador, como deve se comportar pelas ruas, em parques, praças, pontos de ônibus, etc… (como claramente se viu pela proposta de Helder Barbalho, no estado do Pará. Mas engana-se quem pensa que tenha sido somente lá.)
O dinheiro, simplesmente desapareceu, juntamente com a identidade do homem e da mulher. A identidade a que me refiro, percebe-se claramente que não existe, uma vez que não se vê mais ninguém andando de rosto erguido, senão que todos estão andando de cabeça baixa, com medo de olhar para o lado, pois, como poderia encontrar alguém e deixar de cumprimentá-lo com a efusividade de sempre?
O sorriso franco e aberto, deu lugar à ranzinice, à reclamação, ao descontrole, à insatisfação, enfim, tudo em nome de uma suposta saúde que deve ser preservada.
Ignoram os idiotas de forma geral, que, primeiro, saúde sem dinheiro não existe (como existiria saúde para quem não come, não toma uma água pura, não dorme tranquilo “lembre-se, o medo não permite um sono tranquilo”, e além disso e ainda, acima disso, saúde como, se os hospitais não atendem nada, nem mesmo os doentes do tal COVID-19, ou melhor, do vírus chinês?
Pois é, esse é o grande desafio, registrar o que de fato está acontecendo, sem a mentira deslavada estampada em anúncios, onde mostram todos felizes em casa e dizendo a famosa frase: “Fique em casa!”, porém, esses que assim falam, o fazem com um litro de um vinho, sobre a mesa, do valor de aproximados R$ 200,00 a garrafa, e em casas que muitas vezes o comum dos mortais, mal vê em filmes ou em novelas. Mas enquanto isso, esse comum dos mortais, passa fome.
Não uma fome entre uma refeição e outra, mas uma fome, de alguém que não comeu nada ontem, não comeu nada hoje e possivelmente, não comerá nada amanhã, agravando com o fato, de que seus filhos e parentes diretos, estão na mesma situação.
Lindo de se ver, o País do faz de conta, continua lindo, com políticos, os homens em seus ternos muito bem cortados, e as mulheres em vestidos lindos e finos andando de um lado para outro e apenas repetindo, “FIQUEM EM CASA!”
Esse é o comando de dominação absoluto, que parte da boca daqueles que não deixaram de receber seus salários, suas verbas de gabinete, enfim, que continuam se locupletando, à custa da desgraça de uma nação.
Mas, naturalmente que a culpa é de um só, Jair Messias Bolsonaro. E você, parvo, naturalmente que continua acreditando que só pode ser culpa deste, pois afinal de contas, é ele que apanha diuturnamente da mídia e dos demais políticos e politiqueiros de plantão. Parabéns, você continua desempenhando muito bem o teu papel de idiota.

(ap. Ely Silmar Vidal – Teólogo, Psicanalista, Jornalista e presidente do CIEP – Clube de Imprensa Estado do Paraná)

Contato:
(41) 98514-8333 (OI)
(41) 99109-8374 (Vivo)
(41) 99821-2381 (WhatsApp)

Mensagem 30042020 – O povo, a quarentena e a politicalha – (imagens da internet)

Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos: (ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)

leia este texto completo e outros em:

http://www.portaldaradio.com

@elyvidal @radiocrista @pastorelyvidal @conipsip @CiepClube
#FalaPortaldaRadio #conipsi #cojae #dojae