Da esquerda para a direita, Charles Davis é o segundo. Getty images – Michael Loccisano.

Por Emily Zanotti, no Daily Wire.

 

Charles Davis, reitor de Jornalismo e Comunicação de Massa, de uma universidade dos Estados Unidos, foi forçado a pedir desculpas porque tuitara uma mensagem de congratulações a um amigo.

Davis foi colega de escola de Brian Kemp, candidato republicano a governador do estado da Georgia.

Esquerdistas no Twitter não gostaram da abordagem conciliatória de Davis. Eles atacaram-no, acusando-o de estimular o “racismo” e de não reconhecer seu próprio “privilégio branco”:

– “Você é um homem branco e hetero. Claro que ele era legal e gentil com você. Os racistas são geralmente bons para sua própria espécie. Por que você não diz o que você realmente quer dizer? Dane-se a política. Você nunca votaria em uma mulher negra e preferiria votar no racista branco.”

– [O reitor tem o] “luxo da política condenatória porque nenhum político está ameaçando seus direitos, segurança ou sobrevivência.”

A pressão da mídia social forçou Davis a repensar sua declaração e pedir desculpas:

“Eu gostaria de pedir desculpas a qualquer um que tenha se ofendido com meu tweet enviado a Brian Kemp. Foi mal planejado e mal escrito. Eu li e aprendi muito com todos vocês e vou me esforçar para ser mais atencioso.”